Diretores

Kornél Mundruczó

Resultado de imagem para Kornél Mundruczó
O diretor que como muitos outros diretores passaram por Cannes, por lá ficaram, Kornél Mundruczó foi só um dos muitos que tiveram a sorte que conquistar o maior festival de cinema do mundo, conquistando assim, lugar garantido a cada filme novo, sua primeira grande empreitada foi com Delta (2008) usando todos os artificios do cinema autoral, para assim conquistar seu lugar na competição principal, o filme posterior também na competição O Projeto Frankenstein (2010) não agradou tanto o público durante sua aparição, seu maior e melhor filme foi Deus Branco (2014) que fora da competição principal de Cannes, ficou na sessão paralela – na Mostra Um Certo Olhar – e saiu com o prêmio máximo, desde sempre o cinema do húngaro cheio de estilo, com longas cenas por vezes muito longe, por vezes muito próximo dos atores, seu mais recente filme, atualmente em concurso no Festival de Cannes, intitulado Jupiter’s Moon, dividiu a crítica, alguns acharam a história do homem que levita um tanto surreal, de qualquer forma é um diretor que merece muito nossa atenção.

Diretores

Bertrand Bonello

Resultado de imagem para Bertrand Bonello
O compositor que virou diretor, é assim que chamo Bonello que, logo com seu primeiro filme O Pornógrafo (2001) conquistou a critica do Festival de Cannes, foi por lá que o diretor fez carreira, todos os filmes que seguiram seriam selecionados, mesmo que não para a competição principal, estariam ali marcando presença e colocando o diretor no gosto da critíca, Tiresia (2003) foi selecionado para a competição, assim como o seguinte L’Apollonide – A Casa do Amor e da Tolerância (2011) que retratou o cotidiano de uma casa de prostituição na França, o filme acabou caindo nas graças da critíca, ainda assim não ganhou nenhuma prêmio, já naquele filme a marca de Bonello já ficava claro, longos planos e cenas demoradas, filmadas da forma mais fria possível,  biografia Saint Laurent (2015) seguiu um caminho parecido, ainda na seleção oficial de Cannes, o filme não agradou a critíca, ainda assim o filme conseguiu ser o selecionado para representar a França no Oscar, logo não conseguiu a indicação, seu ultimo filme Nocturama (2016) faz referência aos ataques terroristas na França.